Overtraining: O que é? Sintomas e tratamentos para o excesso de treino

0

Overtraining é mais do que exagero, é uma síndrome perigosa à saúde física e mental de uma pessoa. Saiba mais sobre os perigos do exageros nos treinamentos, sintomas que pode trazer e como tratar essa condição.

Overtraining

O que é overtraining?

Overtraining é o nome dado a uma síndrome em que uma pessoa pratica mais exercícios do que o seu corpo é capaz de acompanhar e se recuperar.

Esse exagero é mais comum dentre atletas em fase de treinamentos intensos para competições ou provas, em que o atleta faz muito esforço físico, principalmente muscular, sem dar o tempo correto ao corpo se recuperar.


Não somente danos físicos, o overtraining pode causar malefícios à imunidade e ao psicológico do atleta.


Não deve ser confundido com um treino forte e de alta intensidade. Nesse tipo de treino, o atleta pode sair, descansar e voltar; mas no overtraining, o corpo atinge picos de desgaste, e muitas vezes o atleta não consegue concluir o treino.

Causas: Como ocorre o overtraining?

O excesso de treino pode ter as mais variadas causas, principalmente relacionadas a gatilhos emocionais. São algumas das causas do overtraining:

1. Por pressa de iniciante:

Muitos iniciantes em exercícios, como em corridas de rua ou nas academias por todo o Brasil, pecam em treinar demais sem ter o preparo correto e sem dar o tempo certo de recuperação ao corpo.

2. Compensar um tempo sem treinar:

Acontece também com pessoas que passaram algum tempo sem treinar, seja por motivos de saúde ou viagem, por exemplo, e voltam aos treinos com a ideia de “preciso recuperar o tempo que perdi”, não perdoando o próprio corpo.

3. Nas fases de competições e provas:

Apenas a ideia de competir com alguém por um prêmio ou título estimula um atleta a se esforçar de forma exagerada. É como um estímulo de adrenalina que o corpo toma em prol de uma vitória.

4. Não esperou o período da supercompensação:

Depois de uma carga de exercícios nos treinos, o corpo entra em estado de regeneração; dependendo do condicionamento, tipo de exercícios e tempo de treino de cada pessoa, esse tempo pode ser demorado ou não.

As reservas de energia corporal são recuperadas antes mesmo do físico estar regenerado, então o atleta já se motiva e volta aos exercícios.

5. Fazer um aumento de intensidade antes da hora:

Por um erro da pessoa ou de seu treinador, é feita uma mudança de treino com aumento de carga ou velocidade, ou mais tempo de treinamento, antes mesmo de o corpo estar preparado para alguma mudança do tipo.

Sintomas do overtraining

  • Problemas de performance: Ao longo dos treinos, o atleta se sente regredindo ao invés de evoluindo;
  • Cansaço: A fadiga corporal é um dos primeiros sinais, mas que precisa de mais sintomas para diagnosticar como overtraining;
  • Alterações na coordenação motora: O atleta pode estar com seus músculos enfraquecidos e perder a firmeza ou coordenação motora em alguns movimentos;
  • Facilidade em adoecer: Por causa da queda de imunidade, é comum quem está com overtraining adoecer facilmente, como uma gripe atrás da outra, infecções ou estar com alergias atacadas;
  • Sintomas emocionais: Apatia, tristeza, depressão e ansiedade também são sintomas do overtraining;
  • Frequência cardíaca acelerada: O coração bate mais rápido mesmo nos dias de repouso;
  • Sede excessiva: A qual pode indicar um estado catabólico do corpo; no catabolismo, o corpo metaboliza as proteínas dos músculos e isso causa desidratação;
  • Dores por períodos estendidos: É normal que depois de um treino os músculos doam por até 72h; se a pessoa sentir dores além desse período, significa que os músculos não estão tendo tempo para se recuperar.

Quais as consequências do overtraining?

1. Alterações do seu peso

O excesso de exercícios causa aumento do hormônio cortisol no corpo, e este prejudica a sensibilidade à insulina, prejudica o metabolismo e desacelera a queima de gordura. E isso tudo leva a que? Ao ganho de peso ou estagnada na perda de peso.

2. Estresse corporal crônico

Sem o descanso mínimo exigido, o corpo fica em constante fadiga. Boa parte dessa fadiga não é só física, e sim relativa às glândulas adrenais por conta dos distúrbios hormonais que alteram as quantidades de cortisol e adrenalina.

3. Redução no rendimento ou involução nos exercícios

Quando o atleta chega ao seu máximo de dedicação, mas não obtém nenhum ganho ainda assim, isso é sinal de overtraining. Um exemplo é malhar demais e não aumentar força e massa muscular, pois o corpo está tirando energia e proteínas dos músculos por não ter o descanso correto.

4. Distúrbios de humor e no sono

Humor e qualidade do sono são outros fatores também afetados pelas alterações hormonais do overtraining. Além de estresse e ansiedade, o atleta pode sofrer de insônia, desmotivação, irritabilidade, mau humor, depressão e até ter tendências suicidas.

5. Alterações nos hormônios sexuais

Quanto aos hormônios testosterona e estrogênio, alterações nestes podem causar queda de libido, diminuição da fertilidade, além de aguçar sintomas da TPM, bagunçar ciclos menstruais, mudanças na oleosidade da pele trazendo acne como consequência, dentre outros.

6. Aumento de chances para doenças

Overtraining causa queda da imunidade, abrindo portas para mais resfriados, alergias e infecções. Dores e inchaços podem não se recuperar como antes, culminando em inflamações pelo corpo, danos do sistema de defesa e aumento de doenças.

7. Coração acelerado mesmo em repouso

O atleta tende permanecer com a frequência cardíaca acelerada mesmo na hora de dormir ou os dias de repouso.

Isso é muito perigoso, pois é um ritmo diferente do que o seu coração estava acostumado a funcionar. Isso pode culminar em doenças relacionadas ao coração ou emocionais.

Como tratar o overtraining?

O recomendado pelos médicos, a princípio, é reduzir bruscamente a quantidade ou intensidade dos treinos. Dependendo da gravidade dos sintomas emocionais, físicos e sociais, o atleta deve interromper seus treinos e competições por algum tempo e buscar os tratamentos certos.

A pausa é necessária para o corpo se recuperar. Assim que entrar na rotina de treinos novamente, permita-se descansar por 1 a 2 dias, variando entre treinos leves e intensos sempre. Respeite seu corpo! Essa pausa também faz bem para sua mente.

Muitas vezes não é nem a quantidade de exercícios por treino, e sim a intensidade das cargas ou esforço feito. Procure reduzir séries, reduzir pesos, reduzir tempo de corrida, e nunca se esqueça de descansar. Seu corpo vai voltar ao normal e, com saúde, você volta a evoluir nos treinos.

Quanto aos sintomas físicos do overtraining, o tratamento pode ser feito com:

– Massagens locais e fisioterapia para alívio de dores ou tensões; c

– Contraste de temperatura com frio ou calor pelo corpo, dependendo do tipo de lesão;

– Alimentação saudável e equilibrada, rica em carboidratos complexos, proteínas magras e gorduras saudáveis;

– Fazer alguma suplementação protéica ou vitamínica, se necessário, para repor o que foi perdido no período de dores e no de recuperação;

– Boas noites de sono! Sim, dormir faz bem demais! É dormindo que nosso corpo trabalha melhor, se recupera e recarrega para os próximos treinos;

Avalie este post

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here