Sedentarismo: Quais são suas causas e consequências? Como evitar esse problema!

0

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 47% da população brasileira – aquela acima dos 18 anos de idade – é sedentária. E mais: quase 14% das mortes no país está associada com essa condição.

Sedentarismo

O que é sedentarismo

Sedentarismo é definido como a falta, redução ou ausência de atividades físicas, fazendo com que o corpo tenha um baixo gasto calórico.

Considerado como um dos maiores problemas de saúde pública do mundo, o sedentarismo é classificado quando uma pessoa gasta menos de 2.200 calorias por semana.


Causas

Geralmente, o sedentarismo está associado com a falta de tempo no dia a dia para que as pessoas possam exercitar-se.


Entretanto, os hábitos da vida moderna são os maiores incentivadores para que o sedentarismo surja na vida de uma pessoa, afinal as tecnologias reduziram o consumo energético do corpo.

São exemplos clássicos: o uso de escadas rolantes e elevadores (ao invés de utilizar a escada), trabalhos em escritórios com a utilização de computadores, entre outros.

Além disso, a própria falta de atividades físicas regulares e a má alimentação também são causas do sedentarismo.

Consequências

O sedentarismo pode trazer riscos para a saúde de uma pessoa. Essa falta de atividades físicas e o fato da diminuição cada vez maior da movimentação do corpo podem resultar em:

  • Acidente Vascular Cerebral (AVC),
  • Ansiedade,
  • Apneia do sono,
  • Aumento dos níveis de colesterol no sangue,
  • Ausência de força muscular,
  • Diabetes,
  • Dificuldade para respirar,
  • Dores nas articulações,
  • Gordura no fígado (esteatose hepática não alcoólica),
  • Hipertensão arterial,
  • Infarto do miocárdio,
  • Maior incidência de fraturas por causa de quedas,
  • Obesidade,
  • Osteoporose,
  • Queda da imunidade,
  • Raciocínio lento,
  • Redução da circulação sanguínea.

Em casos de níveis extremos de sedentarismo, existe até a possibilidade de ocorrer morte súbita.

Sedentarismo infantil

Levantamento mundial aponta que cada vez mais as crianças estão se tornando sedentárias, indicando que o nível de atividade física está muito abaixo do que é realmente recomendado.

O sedentarismo infantil afeta diretamente o crescimento saudável e até um futuro envelhecimento de qualidade. São inúmeras as causas do sedentarismo infantil, mas as principais são:

  • A falta de incentivo da família, assim como dos responsáveis e professores nas escolas,
  • O mau exemplo dos pais que também não praticam atividade física,
  • Os avanços tecnológicos existentes através dos brinquedos eletrônicos.

Os pais devem refletir bastante sobre a criação dos filhos, conscientizando-se de que uma criança sedentária será um futuro indivíduo sem saúde.

Sedentarismo na adolescência

Da mesma maneira, o sedentarismo é bastante comum na adolescência. O problema vem desde a infância e não foi combatido pelos pais, fazendo com que a criança (agora adolescente) acredite que está tudo bem em não fazer atividade física regular.

Os adolescentes já tendem a ter um comportamento mais reservado e, com as tecnologias, passam mais tempo em frente a computadores, tablets e celulares. A própria alimentação costuma ser de péssima qualidade nesse período da vida, o que pode contribuir muito para o desenvolvimento do sobrepeso e obesidade.


Como evitar

O tratamento para sair do sedentarismo é simples: começar uma prática física pelo menos 3 vezes por semana e, na grande parte dos casos, optar por uma mudança na alimentação.

Embora pareça fácil na teoria, essa mudança na rotina pode assustar muitos sedentários. No entanto, a dica é que se comece com atividades leves e que agradem cada indivíduo.

Duas dicas ainda interessantes são:

  • Torne algo da rotina em um exercício físico, como sair para passear com o cachorro ou dar uma volta de bicicleta com alguns amigos,
  • Busque alternativas mais saudáveis, como utilizar as escadas ao invés do elevador, optar por uma caminhada até o trabalho, não ficar muito tempo sentado, entre outras.

Igualmente, é fundamental cuidar da saúde mental para que a pessoa não desista de suas mudanças e retorne para os hábitos nocivos.

Um médico deve ser consultado para que se tenha certeza de que não há problemas de saúde que interfiram nessas novas medidas de saúde.

Doenças causadas pelo sedentarismo

Como comentado anteriormente, o sedentarismo pode trazer sérias consequências para a vida. Por isso, ao larga-lo e começar a se exercitar o corpo começará a se proteger destas maiores doenças:

  • Câncer: curiosamente, alguns estudos determinaram que a obesidade (um dos problemas decorrentes do sedentarismo) está ligada a alguns tipos de câncer, como o de mama e o de próstata.

Saindo do sedentarismo, se diminui a chance de desenvolvimento dessas doenças, pois reduz a produção de radicais livres no corpo.

  • Diabetes,
  • Doenças cardiovasculares, já que a prática física aumenta a produtividade do coração e faz com que ele seja capaz de suprir demandas maiores de oxigênio e nutrientes,
  • Hipertensão arterial, já que o corpo não irá mais obrigar o coração a trabalhar com maior pressão,
  • Obesidade, é claro,
  • Osteoporose, já que haverá formação de massa óssea e fixação do cálcio nos ossos,
  • Transtornos de ansiedade, pois movimentar-se irá aumentar a produção de neurotransmissores que fornecem a sensação de bem-estar,
  • Trombose, pois há o estímulo à circulação do sangue.

Quando o organismo começa a se mexer – mesmo que lentamente no início até que a pessoa se acostume com as novas rotinas – ele passa a ficar mais longe desses inimigos!

Sedentarismo: Quais são suas causas e consequências? Como evitar esse problema!
Avalie este post

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here